EM percorre postos e mostra via-sacra pela vacina da febre amarela em BH
01/03/2017
Macaco é encontrado morto em mais uma cidade da Grande BH
03/03/2017
Exibir tudo

Vacinação contra febre amarela é reforçada em Belo Horizonte

A vacinação contra a febre a amarela começou a ser reforçada, no dia 15 de fevereiro, em Belo Horizonte. A medida foi adotada depois que macacos foram encontrados mortos na capital mineira. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), cinco óbitos de primatas foram registrados. Em um dos casos, ocorrido no bairro Copacabana, em Venda Nova, a relação com a doença foi confirmada. Os outros quatro casos são investigados.

Inicialmente, o secretário Municipal de Saúde, Jackson Machado Pinto, anunciou que cinco postos extras seriam instalados na cidade. Nesta quarta, a assessoria da SMSA informou que serão quatro unidades a mais, além dos 150 centros de saúde, que também oferecem a vacina.

“A morte de um animal desse é um sinal de alerta para nós e é um sinal de que nós temos que tomar algumas medidas que evitem colocar a população da cidade em risco. A última coisa que a gente quer é urbanizar a febre amarela”, disse o secretário na segunda-feira (13). A febre amarela urbana não existe no Brasil desde 1942, e não há notificação de casos em que a contração da doença tenha ocorrido na capital.

Um dos postos extras foi montado na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), na Pampulha, e deve funcionar até esta sexta-feira (17). Quem aproveitou para se vacinar no local enfrentou fila na manhã desta quarta. “Não achei que fosse encher tanto. Isso significa que o negócio da febre amarela está grave mesmo. Então, a gente tem que vi, olhar mesmo, tomar a vacina”, disse a assistente de compras Simone Silva.

Segundo a secretaria, outro posto extra foi montado no Centro de Saúde Betânia, na Região Oeste. Lá, segundo a assessoria da pasta, a intensificação na imunização não tem data para ser encerrada. Um dos macacos mortos foi encontrado no Parque Jacques Cousteau, que também fica no bairro Betânia. Como medida preventiva, o local foi fechado à visitação.

Postos extras ainda estão previstos nas regiões Barreiro e Venda Nova. Os locais em que vão funcionar ainda não foram divulgados.

Em Belo Horizonte, só neste ano, 278.463 pessoas foram vacinadas contra a febre amarela. Na avaliação do secretário de Saúde, a capital tem uma boa cobertura vacinal. Cerca de 70% da população adulta já recebeu a vacina, e aproximadamente 98% das crianças com até 4 anos estão imunizadas.

Internações no Hospital do Barreiro

A SMSA também informou que cinco moradores de Belo Horizonte foram internados no Hospital Municipal Doutor Célio de Castro (HMDCC), mais conhecido como Hospital do Barreiro, com suspeita de febre amarela. Todos eles, segundo a secretaria, já tiveram alta e viajaram para cidades em que há casos da doença confirmados ou em investigação. Por isso, de acordo com a SMSA, a possível transmissão aconteceu fora da capital mineira.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *