Limpeza de caixa d’água de condomínio! Quando fazer?
29/06/2016
Como os insetos sobrevivem ao inverno?
01/07/2016
Exibir tudo

Óleo de cozinha é o vilão dos entupimentos hidráulicos comerciais e residenciais

Uma das principais causas da obstrução dos encanamentos comerciais e residenciais está no descarte incorreto do óleo de cozinha. 40% dos chamados que recebe está relacionado à falta de caixa de gordura ou sua manutenção.

A caixa de gordura é um componente do sistema de esgoto, que deve ser instalada na saída de água da pia e de máquinas de lavar louças e sua função é reter a gordura antes que esse resíduo vá para a tubulação e caia na rede pública, administrada pela concessionária de água e esgoto. A caixa funciona como uma espécie de filtro, que impede que a gordura siga adiante pela tubulação.

“O mecanismo é bastante simples: a caixa de gordura é composta por um septo – uma divisória que separa duas estruturas. Nela, sempre fica represado um determinado volume de água. Quando a água suja, com óleo entra na caixa de gordura, o óleo boia, ficando retido na caixa, enquanto a água segue passagem”, explica Plínio Protásio. Segundo ele, ao esfriar, o óleo transforma-se em material sólido e, sem a caixa de gordura, fixa-se na tubulação. Com o passar do tempo, o acúmulo de rejeito reduz o espaço para a passagem da água até interrompê-la.

Manutenção periódica

Embora a caixa de gordura tenha acesso fácil para limpeza, não é comum a manutenção preventiva estar no hall de prioridades dos brasileiros. “Geralmente, somos chamados quando já existe o problema do entupimento e o serviço é emergencial. Em bares e restaurantes, a falta de manutenção preventiva pode implicar na paralisação das atividades e consequente perda de renda, ainda que por um período curto de interrupção”, afirma.

O indicado é que a manutenção da caixa de gordura em moradias seja feita a cada seis meses, para evitar entupimentos, e que a crosta de gordura seja retirada e descartada de maneira correta, sem prejuízo ao meio ambiente. Em bares e restaurantes, esse cuidado deve ser mensal. O tratamento da água, assim como do esgoto encarece em face a esse tipo de poluição, o que acaba na conta do contribuinte. Isso sem contar o prejuízo ambiental à vida das espécies desses habitats.

Cuidados no dia a dia

Além da manutenção preventiva, o especialista recomenda alguns cuidados que podem ser adotados rotineiramente. “Ainda que o imóvel conte com a caixa de gordura, o óleo de cozinha nunca deve ser descartado no ralo. O ideal é colocar o excesso em uma garrafa PET ou garrafa de vidro e destinar o material para a coleta seletiva ou destiná-lo a pontos de recebimento. Outro cuidado é o uso de ralos na pia. “Geralmente os alimentos quentes são envolvidos em óleo, por isso a importância do uso do ralo, tanto para conter o resíduo sólido como para evitar a deposição da gordura”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *