Febre amarela: sintomas, transmissão e prevenção
10/04/2017
Hábitos alimentares e ciclo de vida de insetos visitantes de Croton glandulosus
12/04/2017
Exibir tudo

Dicas de controle de pragas para sua casa

A despeito da vontade dos homens, animais como aranhas, formigas, abelhas, ratos, entre outros – os chamados sinantrópicos nocivos – se adaptaram a viver nas residências. Trata-se do oposto dos animais domésticos, criados e cuidados com a finalidade de fazer companhia, transporte ou produção de alimentos. Além de serem indesejados, os animais sinantrópicos nocivos são conhecidos por transmitirem doenças e causarem agravos à saúde dos moradores das casas em que fixam residências e de animais domésticos.

De acordo com o biólogo e especialista em entomologia urbana da APRAG, Sérgio Bocalini, quanto mais limpo e organizado o ambiente, menores são as possibilidades de surgirem problemas com pragas como escorpiões, baratas, pulgas etc.

“Vedação de frestas, fissuras na parede e em locais que sirvam de passagens também ajudam a prevenir o aparecimento dos animais sinantrópicos nocivos, bem como a ausência de lixos à disposição, pois a diminuição de lixo significa menor quantidade de alimentos para os animais, o que minimiza a presença das pragas”, detalha o especialista.
Caso firmem moradia, a contratação de uma boa empresa especializada é recomendável para a retirada dos animais sinantrópicos nocivos das residências. Estas empresas podem recorrer a produtos químicos específicos e a técnicas mais apuradas, como a utilização de armadilhas de captura, muitas vezes inacessíveis à população, leiga no assunto.

Cuidado com a compra de inseticidas 

“É importante que os impactados pelos animais sinantrópicos nocivos evitem comprar produtos para controle de pragas e inseticidas em locais que não sejam autorizados, pois todos devem contar com licença de comercialização da Anvisa. Além disso, é recomendável não recorrer ao autosserviço, mas, caso isso seja inviável, a população deve ficar atenta aos rótulos, que indicam se os produtos são de venda livre e estão liberados para a comercialização” alerta Sérgio. Itens clandestinos e proibidos, como chumbinho, causam riscos à saúde, podendo gerar intoxicação e até a morte.

Fonte: APRAG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *