DEDETIZAR x DETETIZAR
25/04/2017
COMO ESCOLHER UMA BOA EMPRESA PARA DEDETIZAÇÃO E LIMPEZA DE CAIXA D’ÁGUA
27/04/2017
Exibir tudo

Conheça dicas e técnicas para combater o percevejo

O inseto é o principal vilão dos produtores de soja e pode provocar grandes prejuízos.

O percevejo é um inseto pequeno, mas que pode trazer uma grande dor de cabeça para o produtor e as perdas na lavoura podem chegar a 30%. O controle da praga foi debatido nesta quinta-feira durante fórum realizado pelo Canal Rural na cidade de Não-Me-Toque, no Rio Grande do Sul.

De acordo com o pesquisador e consultor agropecuário Dirceu Gassen, o inseto é o principal vilão dos produtores de soja. “Os percevejos hoje são as principais pragas em soja. Depois da evolução da soja RR2BT, na qual nós temos um controle muito bom de lagarta da soja, lagarta mede-palmos e da helicoverpa, sobram as spodopteras. Mas entre o complexo pragas, sem dúvida nenhuma, o percevejo é a principal praga da soja”, disse.

Uma infestação de percevejos pode causar grandes prejuízos. “Um percevejo por metro quadrado causa uma diminuição de 49 a 120 quilos de soja por hectare. Ele pode ainda matar a semente ao contaminá-la com um fungo na área vital crítica, onde se forma o eixo embrionário da semente e, se o dano for em outras partes da semente, o percevejo suga alimentos e fazendo a semente germinar com menor vigor e produzir uma planta mais fraca”, falou Eduardo Loureiro,diretor administrativo da Associação dos Produtores e Comerciantes de Sementes e Mudas do Rio Grande do Sul (Apassul).

Para enfrentar esse problema, o melhor caminho será sempre a informação. De acordo com Gassen, é preciso identificar as espécie e conhecer um pouco mais da biologia, dinâmica populacional e como elas sobrevivem. “É necessário medir quantificar, observar, fazer uma forma de teste pra ter a certeza do que está acontecendo e saber o que está funcionando e como está funcionando na lavoura”, falou.

Com a troca de informações, novas formas para amenizar o problema são descobertas, como revelou o gerente de produção vegetal da Cotrijal, Juliano Recalcatti, que revelou que o sal de cozinha pode ser uma arma contra o inseto.

“As ferramentas que nós temos são poucas e a gente precisa trabalhar para preservar elas. Por meio do nosso programa e em conversas com pesquisadores de outras regiões do país, especificamente do Paraná, nos foi trazida a oportunidade de trabalhar com sal de cozinha, que acaba agregando um nível de controle de 10% a 12% no inseticida”, disse.

Fonte: Foco Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *