Cientistas criam tecido extremamente leve, inspirado em teia de aranha
18/03/2017
Cupinzeiros ocupam espaço que é do gado
20/03/2017
Exibir tudo

Áreas verdes ameaçadas por cupins

Bem adaptado em ambientes urbanos, os cupins se tornaram uma ameaça não só para as residências, mas para as áreas verdes. Em Campos, na maioria das árvores da Praça do Liceu de Humanidades, oficialmente denominada de Barão do Rio Branco, — uma das mais tradicionais da cidade —, há sinais da manifestação dos cupins.

Segundo os especialistas, os insetos comem o cerne das árvores, onde instalam seus ninhos. Ocas, elas podem cair com facilidade durante os temporais, representando riscos para as pessoas e bens materiais.

O Brasil tem cerca de 300 espécies de cupins. Na área urbana, as duas espécies mais comuns no Sudeste são o Coptotermes gestroi e Cryptotermes brevis, sendo a primeira originária da Ásia. Esta espécie asiática foi introduzida no Brasil por navios com madeira contaminada e infestou as cidades portuárias antes de 1920.

A prefeitura de Campos informou que, o setor de arborização da secretaria de Desenvolvimento Ambiental realiza um trabalho de tratamento corretivo em relação a infestações de cupins em locais públicos, como rege o Código de Arborização do Município. Segundo o gerente de Arborização Urbana, Wilson Duarte, a espécie predominante de cupim no município é o alófago, que se alimenta de material orgânico e é encontrado em cerca de 90% dos casos de infestação em árvores no município.

Considerando a denúncia de presença de cupim no Jardim do Liceu, a secretaria de Desenvolvimento Ambiental vai encaminhar técnico ao local para avaliação nesta quarta-feira (22). Para futuras denúncias, basta que a população ligue para o setor correspondente através do telefone (22) 98168-9588.

 

Fonte: NF Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *